sábado, 13 de março de 2010

Quarto Domingo da Quaresma


“Estava perdido e foi encontrado”
Hoje a Igreja nos propõe a Liturgia do Domingo Laetare (alegria). É uma antecipação das alegrias pascais, que de certa forma já vivemos. Essa alegria é fruto da imensa misericórdia com que Deus trata a humanidade, cuja expressão máxima é Jesus Cristo. Misericórdia que é dom, graça de Deus derramada sobre seus filhos e filhas em Cristo.
No evangelho Jesus nos conta a parábola do filho prodigo, costumamos nos identificar com um dos filhos: o mais novo ou o mais jovem. Na verdade, somos um misto dos dois. Somos cristãos, católicos que vamos à Santa Missa, que procuramos a confissão até com certa frequência, que em suma, “nunca saímos da casa do pai”, ou, se saímos, não vamos muito longe. Mas somos os mesmos que, mesmo não indo tão longe, com freqüência ofendemos a Deus, gastamos seus bens, nos sujamos com o espírito do mundo, que luta contra Deus. Somos uma mistura dos dois filhos, pois nem sempre sabemos reconhecer o dom de Deus na vida do irmão, sobretudo o dom da misericórdia, ao mesmo tempo em que sabemos que ainda estamos longe de um amor perfeito a Deus.
Neste domingo da alegria, cada católico é chamado a reconhecer o imenso dom da misericórdia divina para a humanidade inteira, e para cada um em particular e alegrar-se. Essa alegria, que é fruto do perdão de Deus para conosco, faz-nos reconhecer que Deus vem ao nosso encontro, filhos que se perderam, acolhe-nos quando nos arrependemos, voltamos a casa e reconhecemos ser pecadores e imerecidos da grande misericórdia. Quando isso acontece, não nos sentimos humilhados, mas como que reencontrado e valorizado. Que Deus Pai, que manifestou sua misericórdia no seu Filho Jesus Cristo nos ajude nessa entrega confiante à justiça e na sua misericordiosa, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Diácono: João Paulo dos santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário