quinta-feira, 22 de abril de 2010

Eucaristia Centro da Vida


A Santíssima Virgem vivia a comunhão Eucarística porque o amor requer união de vida.
Em Belém e em Nazaré viveu escondida e humildemente, no Egito teve que se refugiar, nas aldeias da Judéia auxiliou os mais necessitado, no calvário a lança transpassou seu coração; naturalmente agora vive contemplando Jesus Sacramentado.
Quando estava contemplando Jesus Eucarístico, Maria ficava totalmente silenciosa e recolhida; este momento absorvia completamente o espírito, alimentava e fortalecia para os empreendimentos apostólicos; dos lábios saíam o cântico de louvor: Minha alma glorifica o Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador (Lc. 1, 46-47).
A contemplação eucarística é mais ativa que passiva; a alma que se entrega a Deus, sob a impressão sempre nova de sua bondade, sob a influência crescente das chamas do seu amor, atinge a liberdade e a união com o seu Amado.
O reconhecimento é a primeira condição para atingir a contemplação; o cristão livre das imagens, dos objetos exteriores e desprendido dos afetos desordenado, como uma agulha magnética direcionada para o pólo, consegue encontrar Deus. A alma recolhida e fixada em Jesus é alimentada pelo amor, é iluminada pela verdade; a oração flui naturalmente, pois livre da escravidão material pode acompanhar Cristo e aprofundar os mistérios sobre os quais medita.
Por causa das prerrogativas que recebeu, a contemplação da Virgem Santíssima aos pés de Jesus Sacramentado era perfeita; as distrações, as preocupações do espírito e do coração jamais perturbaram a paz que recebia do divino filho. Espiritualmente unida com o Verbo, sorvia graça de ficar sós com o amado, receber e pedir favores, dialogar longamente.
Aquele que deseja realmente ser um adorador da Eucaristia, em união com Maria, com paciência e constância deve buscar recolhimento; procurando conhecer e desfrutar Jesus. O amor nasce da verdade, por isso o sentimento passa e a vontade permanece.
Feliz quem pelo exemplo de Maria compreende o mistério de amor deseja e clama por ele sem descanso.
Fonte: Livro, Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, São Pedro Julião Eymard

Nenhum comentário:

Postar um comentário