segunda-feira, 21 de junho de 2010

Vinde a mim, vós todos


Se os homens soubessem o que é o amor do Senhor, seria em multidões que acorreriam junto de Cristo, para que os reconfortasse a todos com a sua graça. A sua misericórdia é inefável.

O Senhor ama o pecador que se arrepende e aperta-o ao peito com ternura: "Onde estavas, meu filho? Espero-te há tanto tempo!" Pela voz do Evangelho, o Senhor chama a si todos os homens e a sua voz ressoa pelo mundo inteiro: "Vinde a mim, vós todos que penais e dar-vos-ei repouso. Vinde e bebei a água viva. Vinde e aprendei que vos amo. Se não vos amasse, não chamaria por vós. Não posso suportar que se perca sequer uma só das minhas ovelhas. Mesmo por uma só, o Pastor vai pelas montanhas e procura-a por toda a parte. Vinde a mim, minhas ovelhas. Criei-vos a amo-vos. O meu amor por vós fez-me vir à terra e tudo sofri pela vossa salvação. Quero que conheçais o meu amor e que digais como os apóstolos no Monte Tabor: «Senhor, é bom estar contigo»" (Mt, 17,4).

O Senhor chama-nos a si sem cessar. "Vinde a mim e dar-vos-ei o repouso". Ele alimenta-nos com o seu corpo puríssimo e com o seu sangue. Com bondade nos educa pela sua palavra e pelo Espírito Santo. Revelou-nos os seus mistérios. Vive em nós e nos sacramentos da Igreja e conduz-nos ao lugar onde veremos a sua glória.

S. Siluane (1866-1938), monge ortodoxo
Escritos

Nenhum comentário:

Postar um comentário