segunda-feira, 5 de julho de 2010

As condições para orar( Rezar)

Quais são as condições para orar? Não é “fazer orações”, mas crescer num relacionamento pessoal com o Senhor. O que devo fazer para ter uma vida de oração pessoal?.

Do meu lado há duas condições: fidelidade e abertura.

Fidelidade é passar um tempo com o Senhor regularmente. Coloco tempo e esforço em tudo o que é importante para mim. Nenhum relacionamento de amor perdura e cresce a menos que haja tempo para ficarem juntos. Não é o tempo passado junto que parece longo ou desperdiçado, mas sim, o tempo que se passa separado do outro.

Mas o Senhor não fica contando o tempo. Não é o tempo em si que importa, mas a fidelidade ao tempo passado com Ele, que é a medida da qualidade do meu compromisso.
Não se pode ser inconstante numa amizade. Eis o que o Senhor nos oferece: “Já não vos chamo de servo, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Mas chamei-vos amigos, pois dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai “( Jo 15,15 ).

O Senhor está sempre presente em mim. Preciso voltar-me para Ele e ser fiel em meus encontros diários. O primeiro passo para isto é reservado o tempo. “Assim, eu digo a Ele:” Vós sois importante para mim. Meu relacionamento convosco é a coisa mais importante de minha vida ( e é fundamento de todos os meus relacionamentos ). Talvez eu tenha que ficar sem uma refeição para poder ter este encontro, mas estar convosco significa mais para mim do que comer ou dormir. “Não quero colocar nada em vosso lugar, nem antes de vós em meu coração”.
Abertura- Quando venho ao encontro do Senhor fielmente, o que devo fazer então? Ficar aberto atento a Ele – apenas ficar ali com Ele, olhando para Ele com amor, reconhecendo no meu coração qual é sua atitude para comigo.

Sou pobre e necessitado; mas, nem sempre preciso orar por causa das minhas necessidades, de meus pecados ou sofrimentos. O Senhor sabe de tudo isto. Há momentos na oração que devemos chamar ao Senhor. Mas o que lhe agrada é que eu fique ali por amor a Ele. Seu amor e sua presença nunca são estáticos, mas sempre fluem; o Senhor tocará o meu pecado e minha enfermidade. Posso esquecer-me de mim mesmo e amá-lo. Posso amar-me também, apesar de tudo o que vejo, porque Jesus me ama como sou – e ele não se engana. Assim, sou um filho amado.

Jesus Vê minha enfermidade – e isto faz com que Ele me ame com mais compaixão, como uma criança mais ainda porque está doente ou tem uma deficiência. Jesus coloca seus braços em torno de mim e eu retribuo este amor, talvez ainda pequeno – mas isto não tem importância. Fico em repouso silencioso, amando e sentindo-me amado. “Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nele não entrará”.

Podemos sempre pedir ao Senhor como os Apóstolos: “Senhor ensina-nos a rezar”. (Lucas 11,1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário