terça-feira, 27 de julho de 2010

Misericórdia Divina

Em 13 de setembro de 1935, Irmã Faustina escreveu: “Vi um anjo que era o executor da ira de Deus... Quando vi este sinal da ira Divina, que deveria atingir a terra comecei a pedir ao Anjo que se detivesse por alguns momentos, que o mundo faria penitencia”. As suas orações se revelaram de início impotente. Então a Serva de Deus, diante das imprevistas manifestações da Santíssima Trindade, começou a implorar com profundo recolhimento a Deus em favor do mundo. A sua oração correspondiam as palavras que lhe vinham sugeridas interiormente: Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, Alma e Divindade de vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos pecados do mundo inteiro. Pela sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós. (Diário, n°475).

No dia seguinte, ao entrar na capela, a Irmã recebeu instruções de uma voz interior que lhe pedia repetir a oração que ouvira no dia anterior cada vez que se dirigisse ao Santíssimo Sacramento. Finalmente Irmã Faustina teve uma nova inspiração referente à oração acima. Foi-lhe dito para rezar as mesmas palavras em forma de terço.

O Senhor não se limitou a isso. Mas fez à Serva de Deus essa esplendida promessa: Minha filha estimula as almas a rezarem esse terço que te dei. Quando o recitarem, encherei suas almas de paz, e a hora da morte deles será feliz.

O terço da Misericórdia

No principio: Pai Nosso... Ave Maria... Creio...
Nas contas grandes:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, Alma e Divindade de vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos pecados do mundo inteiro.
Nas contas pequenas:
Pela sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.
No fim do terço (dizer 3x)
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

“As almas que rezarem esse terço serão envolvidas pela minha misericórdia, durante a sua vida e de modo particular, na hora da morte”. (Diário n°754)

Fonte: Devoção à Misericórdia Divina

Um comentário:

  1. Obrigado pela explicação, pois as vezes rezamos e nem sabemos o porque da oração, como surgiu etc, Deus lhe pague

    ResponderExcluir