Domine Exaudi Orationem Meam (Escutai Senhor minha oração)



Essa missão de oração e intercessão é dada a todo cristão na Igreja. Poucos sabem valorizar essa grandiosa e misteriosa seleta de orações em prol de uma alma, (Muitas almas se perdem, vão para o inferno porque não têm ninguém que interceda ou faça sacrifícios por elas “Mensagem de Fátima”).

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

DIA DO SACERDOTE

(Click para ampliar a imagem)


4 de Agosto
São João Maria Vianney, Confessor (+ Ars, 1859)

Em 1929 o Papa Pio XI o proclamou "homem e
xtraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico".

Conhecido também como Cura D´Ars, S. João Maria Vianney nasceu em Dardilly, na França, em 1786. Era um camponês de mente rude e, segundo contam, tinha poucos dotes pessoais. S. João Maria Vianney, oriundo de uma família modesta, somente pôde aprender a ler aos 18 anos de idade.

Sentiu-se chamado para o sacerdócio, mas não foi capaz de seguir o curso normal de seminário, porque não conseguiu dominar o latim e a filosofia. Os seus mestres de seminário ficavam muito desanimados com o seu péssimo desempenho mental. Mas devido ao modelo de piedade que era, considerando a virtude notória do candidato e a falta de padres na diocese, o Vigário geral resolveu aprová-lo e deixar que a providência se encarregasse do resto, embora achando que ele nunca teria discernimento suficiente para atender confissões. Foi exatamente o contrário que se deu.

Em 1815, deram-lhe as ordens sagradas. Porém havia uma condição: não poderia confessar, por julgarem-no incapaz de guiar as consciências. Após um ano de aprendizado com o abade Balley, em Ecculy, foi para Ars (Ars era uma aldeiazinha de 230 habitantes), primeiramente com o título de vigário capelão e depois veio a ser vigário ou cura.

O Padre Vianney revelou-se extraordinário apóstolo do confessionário, com luzes sobrenaturais que o faziam ler as consciências, converter os pecadores, reconciliá-los com Deus. Começaram a acorrer de toda a França, e até do estrangeiro, peregrinos desejosos de se confessar com ele ou de lhe pedir orientação. Desde 1830 até sua morte, acorriam anualmente 100 mil peregrinos a Ars, o que perfazia uma média de mais de 270 por dia. Para atender a tanta gente o zeloso pároco precisava passar no confessionário de, 12 a 18 horas diárias. Levava, ademais, uma vida muito austera e sacrificada, e durante 35 anos Deus permitiu que o demônio o atormentasse com contínuos ataques. Foi canonizado em 1925 e é venerado como padroeiro dos párocos.



Rezemos pela santidade e fidelidade dos sacerdotes do mundo inteiro, para que possam ser exemplos de pastores assim como São João Maria Vianney.

São João Maria Vianney, rogai por nós!

Um comentário:

  1. exemplo de fé, coragem, temor a deus, confiança.
    Vale muito a pena conhecer a vida de uma pessoa de tanta doação a deus como ele.

    ResponderExcluir