sábado, 21 de agosto de 2010

A flor mais bela brotada da Palavra de Deus


Lucas escreve: “No décimo quinto ano do império de Tibério César, quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia, Herodes administrava a Galileia, seu irmão Filipe, as regiões da Itureia e Traconítide, e Lisânias a Abilene; quando Anás e Caifás eram sumos sacerdotes, foi então que a palavra de Deus foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto” (Lc 3, 1-2). Dois elementos chamam a atenção. O primeiro é a abundância de referências a todas as autoridades políticas e religiosas da Palestina, no ano 27/28 d.C. Evidentemente, o evangelista quer mostrar a quem lê ou escuta que o Evangelho não é uma lenda, mas a narração de uma história verdadeira, que Jesus de Nazaré é um personagem histórico integrado naquele contexto preciso. O segundo elemento digno de ser sublinhado é que, depois desta ampla introdução histórica, o sujeito passa a ser “a Palavra de Deus”, apresentada como uma força que vem do alto e desce sobre João Batista.

Queridos amigos: a flor mais bela brotada da Palavra de Deus é a Virgem Maria. Ela é a primícia da Igreja, jardim de Deus na terra. Mas, enquanto Maria é Imaculada – assim a celebraremos, a Igreja tem necessidade contínua de purificação, porque o pecado atinge todos os seus membros. Na Igreja tem lugar sempre uma luta entre o deserto e o jardim, entre o pecado que resseca a terra e a graça que a rega para que produza frutos abundantes de santidade. Peçamos à Mãe do Senhor, portanto, que nos ajude, neste tempo difícil, a “aplanar” nossos caminhos, deixando-nos guiar pela Palavra de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário