quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

" Filho: Ama-me, assim como tu és"


“Eu conheço a tua miséria, as lutas, as aflições de tua alma, as fraquezas do teu corpo. Conheço também tua covardia, teus pecados e, apesar disso, Eu te digo: Dá-me o teu coração. Amo-te assim como tu és!”
Se esperas tornar-te um anjo para então te entregares ao amor, nunca me amarás. Mesmo se fores covarde no cumprimento de tuas obrigações e no exercício das virtudes, mesmo se caíres freqüentes vezes naqueles pecados que não desejas mais cometer, Eu não permito que não Me ames!Ama-Me assim como tu és!
Em cada momento e em qualquer situação, em que te encontrares, na consolação ou na aridez, na fidelidade ou infidelidade: “ Ama-Me assim como tu és” Eu quero o amor do teu pobre coração; pois se esperas até que seja perfeito, tu nunca me amarás!
Não poderia Eu criar de cada grão de areia um serafim, radiante de pureza, de nobreza e de amor? Não sou Eu o todo poderoso? E se eu quis deixar aqueles seres maravilhosos no céu, para preferir o teu amor tão fraco e miserável – não sou Eu o Senhor do Meu amor?
Meu filho, deixa que Eu te ame. Eu quero o teu coração. Podes estar certo, Eu te transformarei com o tempo, mas agora Eu te amo assim como tu és e Eu quero que também tu Me ames assim como tu és. Eu quero ver o teu amor brotar do abismo da tua miséria.
Eu amo em ti também as tuas fraquezas, pois amo o amor dos pobres e dos miseráveis. Eu quero que dum coração cheio de misérias, como o teu, suba a incessante prece: “ JESUS, eu te amo!”
Eu não preciso da tua sabedoria e dos teus talentos. Uma só coisa é importante para Mim: “ Ver-te lutar e agir com amor!”
Não são as tuas virtudes que Eu desejo. Se tivesse que dar-te tais virtudes a ti, que és tão fraco, isto só nutriria o teu amor próprio. Porém não te preocupes com isso. Eu poderia operar grandes coisas em ti, mas não, tu serás o sevo inútil, e Eu tirarei de ti até mesmo o pouco que tens, porque Eu te criei só para o amor.
Hoje me apresento qual mendigo na porta do teu coração- Eu o Reis dos Reis! Eu bato e espero! Apressa-te e abre-te para Mim! Não te desculpes com a tua miséria. Se conhecesse a plenitude da tua miséria, morreria de dor.
O que Me faria o coração seria ver que duvidas de Mim e deixes de confiar em Mim. Eu quero, que pratiques mesmo o mais insignificante ato só por amor a Mim. Eu conto contigo e espero que Me proporciones muita alegria.
Não te preocupes se tu não possuis nenhuma virtude – Eu te darei as minhas. Quando tiver que sofrer, Eu te darei forças. Se Me deres o teu amor, dar-te-ei mais do que possas imaginar para que entendas o amor. Mas não esqueças: “ Ama-Me como tu és!”
Eu te dei a Minha Mãe. Deixa tudo, sim tudo, para depositá-lo em Seu coração imaculado! Em todo caso não esperes até te tornares santo para então te entregares ao amor; tu nunca Me amarias. – E agora, coragem!”.
Fonte: “ Ecc Mater Tua” Nr. 268, de Mons. Lebrun, Traduzido do Italiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário