terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Quer ser feliz por um instante, vinga-te; quer ser feliz para sempre, perdoa

ORAÇÃO DE PERDÃO

Senhor Jesus, peço-Vos hoje a graça de perdoar a todas a pessoas que me ofenderam ao longo da minha vida. Conto com a Vossa ajuda, Senhor, eu sei que me dareis a força para perdoar. Abandono Vos perdoo pelas vezes em que a morte, a enfermidade e as dificuldades financeiras se abateram sobre a minha família, e por aquilo que me pareceu um castigo e que, segundo diziam, era a vontade de Deus. Tornei-me amargo e rebelde. Purificai hoje o meu coração e a minha mente, Senhor Jesus.

Senhor, perdoo a mim próprio por ter mergulhado em práticas supersticiosas (tábuas de comunicação com espíritos, ler horóscopos, sessões espíritas, consultar cartomantes, ler as mãos e usar amuletos). Rejeito todas essas superstições e aceito-Vos como meu Senhor e Salvador. Comunicai-me o Vosso Espírito Santo. Senhor, perdoo à minha mãe pelas vezes que me magoou, ficou ressentida e zangada comigo, me puniu, preferiu os meus irmãos e irmãs a mim, me chamou tolo, feio, estúpido, o pior dos seus filhos. Eu lhe perdoo por ter dito que eu dava muita despesa, era malquisto, um acidente, um erro, que não era o que ela esperava.

Perdoo ao meu pai pela falta de apoio, de amor, de afeição, de atenção e de companhia. Dou-lhe o meu perdão pelas suas brigas, discussões, abandonos, ausências de casa; por se haver divorciado da minha mãe, pelas suas bebedeiras, pelas suas ásperas críticas. Senhor, perdoo aos meus irmãos e irmãs, quando me rejeitaram, me caluniaram, me odiaram, me detestaram, disputaram o amor de meus pais, me agrediram, foram severos demais comigo e tornaram a minha vida desagradável.

Senhor, perdoo à minha esposa ou marido pela falta de amor, de atenção e de comunicação; pelos seus defeitos, debilidades, falhas e outros actos ou palavras que me prejudicaram e perturbaram.
Senhor, perdoo aos meus filhos pelas faltas de respeito, pela desobediência, pelo pouco amor, cordialidade e compreensão. E pelos seus vícios e afastamento da Igreja.
Senhor, perdoo aos meus parentes próximos, aos meus avós, tios, além de outros que têm interferido na minha família, cau¬sando confusão, colocando os meus pais um contra o outro.
Senhor, perdoo aos parentes, especialmente minha sogra, meu sogro, cunhados e cunhadas, além de outros parentes por afinidade que de algum modo me ofenderam.

Senhor, perdoo aos meus colegas de trabalho que são desagradáveis e me tornam a vida insuportável, me sobrecarregam com trabalho que não me compete, falam mal de mim, não cooperam comigo, tentam tirar-me o emprego. Também os meus vizinhos devem ser perdoados, Senhor, pois eles são barulhentos, dão festas à noite, têm cães que ladram muito e não me deixam dormir. Eles importunam-me com as suas brigas e mexericos.

Senhor, perdoo a todos os padres, a todas as freiras, a todos os bispos, à minha paróquia, às paróquias do passado, aos conselhos paroquiais e a todas as conferências da Igreja e à Igreja Católica Romana, por todas as suas mudanças, falta de apoio, mesquinhez, maus sermões, falta de cordialidade; por não me apoiarem como devem, por não me inspirarem, não me utilizarem em posição-chave, não me utilizando no melhor das minhas capacidades e por quaisquer aborrecimentos que hajam infligido a mim ou à minha família, mesmo num passado distante. Perdoo a todos os profissionais que me prejudicaram de algum modo: os médicos, enfermeiras, advogados, juízes, políticos e funcionários públicos. Perdoo a todas os que me prestam serviços: polícias, bombeiros, motoristas de autocarros, assistentes sociais e muito especialmente mecânicos de automóveis e técnicos de TV que me enganaram.

Perdoo ao meu patrão, que não me paga suficientemente, não aprecia o meu trabalho, é descortês e pouco razoável, rezingão, implicativo e, além de lodo, não me promove. Perdoo. Senhor, a todos os professores da escola e a todos os instrutores do passado ou do presente. Também àqueles que me insultaram, me humilharam, zombam de mim, me chamam tolo, c não me deixaram sair depois da aula acabar.

Senhor, perdoo aos amigos que me decepcionaram, perderam o contacto comigo, não se prontificaram quando precisei da sua ajuda, me pediram dinheiro emprestado e não pagaram. Senhor, rezo especialmente pela graça de perdoar àquela pessoa que mais me prejudicou na vida, e rezo em especial para que cu possa perdoar a mim próprio, por haver magoado os meus pais, por ter-me embebedado, por usar drogas, pelos pecados contra a pureza, pelos maus livros e filmes, pela fornicação, pelo adultério, pela homossexualidade, abortos, furtos, mentiras, enganos, fraudes.

Senhor, suplico o perdão de todas essas pessoas pelas mágoas que lhes causei, especialmente à minha mãe, ao meu pai, aos meus filhos e ao meu cônjuge. Agradeço-Vos. Senhor, pelo amor que recebi por meio deles. Amém.

Se agora te sentes melhor física, psicológica ou espiritualmente, é porque acabaste de ter uma experiência de cura por meio do perdão. Deves estar a sentir-te mais leve e tranquilo. Senão, recomendo que leias diariamente esta oração, bem devagarinho, durante nove dias. . Peço ao Espírito Santo que te guie, que te abra o coração e a mente, por meio do processo do perdão.
Perdoar é divino, é o título de um livro escrito por mim, exclusivamente sobre o perdão. Ler sobre o perdão nunca é demais. Quanto a mim, sempre que encontro um livro sobre o perdão, leio-o, pois compreendo que é essencial para a cura. Ler sobre o perdão aumenta a consciência da necessidade de perdoar, a percepção do perdão, pois todos os dias há momentos em que deixamos de receber o amor, o afeto e a segurança de que necessitamos. Por isso, eu sinto o perdão como uma experiência contí-nua na minha vida. Enquanto durar a nossa vida, havemos de sentir mágoas, mas podemos libertar-nos pelo perdão.

Tenta reviver o que sentiste da reconciliação mais significativa que já tiveste com alguém.
• O que é que causou essa reconciliação?
• Medita no perdão do Senhor, para ti.
• Tens uma relação sã – já curada – contigo mesmo?
• Em que áreas é que ainda guardas reservas para contigo mesmo?



Fonte: Livro Robert DeGrandis, A Eucaristia fonte de cura, ed. Pneuma, pp. 22-29

Nenhum comentário:

Postar um comentário