segunda-feira, 21 de março de 2011

Transfiguração ajuda a compreender a cruz, diz Papa

Quando Jesus tomou seus discípulos e se transfigurou diante deles, Ele o fez para que pudessem enfrentar o escândalo da cruz, explicou Bento XVI neste domingo, ao introduzir a oração do Angelus.
Ao dirigir-se desde a janela de seu apartamento aos peregrinos presentes na praça de São Pedro, o Papa quis refletir brevemente sobre a passagem evangélica da Transfiguração, correspondente ao segundo domingo da Quaresma.
Jesus, após ter preanunciado a seus discípulos sua paixão, “levou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os fez subir a um lugar retirado, numa alta montanha. E foi transfigurado diante deles: seu rosto brilhou como o sol e suas roupas ficaram brancas como a luz”, citou o Papa.
“Segundo os sentidos, a luz do sol é a mais intensa que se conhece na natureza, mas, segundo o espírito, os discípulos viram, por um breve tempo, um esplendor ainda mais intenso, o da glória divina de Jesus, que ilumina toda a história da salvação.”
A Transfiguração – explicou o Papa – “não é uma mudança de Jesus, mas a revelação de sua divindade, a íntima compenetração de seu ser com Deus, que se converte em pura luz. Em seu ser uno com o Pai, Jesus mesmo é Luz da Luz”.
Assim os discípulos, “contemplando a divindade do Senhor, são preparados para enfrentar o escândalo da cruz”.
O Papa recordou em seguida um antigo hino: “No monte te transfiguraste e teus discípulos, no quanto eram capazes, contemplaram tua glória, para que, vendo-te crucificado, compreendessem que tua paixão era voluntária e anunciaram ao mundo que tu és verdadeiramente o esplendor do Pai”.
Bento XVI convidou os presentes a participar “desta visão e deste dom sobrenatural, dando espaço à oração e à escuta da Palavra de Deus”.

Fonte: Pontífice rezou o Angelus com os peregrinos neste domingo
CIDADE DO VATICANO, domingo, 20 de março de 2011 (ZENIT.org)

Nenhum comentário:

Postar um comentário